Os atingidos por mudanças climáticas – IREE

Análises e Editorial

Os atingidos por mudanças climáticas

Por Samantha Maia e Juliana Pithon

A maior ocorrência de eventos climáticos extremos desafia a sociedade a lidar com um grupo crescente de população vulnerável, que são os atingidos pelas mudanças climáticas. No Brasil, catástrofes ambientais como secas, enchentes, vendavais e deslizamentos afetaram diretamente 3,4 milhões de pessoas em 2022 e 5,8 milhões em 2023, segundo levantamento da Confederação Nacional de Municípios.

Pesquisa do Ipec revela que 7 em cada 10 brasileiros já vivenciaram pelo menos um evento climático extremo. Dentre as principais preocupações estão os episódios recorrentes de fortes chuvas, falta d’água, ondas de calor, ciclones e queimadas. O levantamento também indicou que população negra apresenta maior preocupação (25%) do que a população branca (21%) sobre estes eventos.

‌Outra pesquisa, do Instituto Ipsos, mostrou que 49% dos brasileiros temem a necessidade de deixar suas casas nos próximos 25 anos devido às mudanças climáticas. O levantamento foi feito com moradores de 34 países a pedido do Fórum Econômico Mundial.

‌Muitos atingidos por desastres naturais precisam se deslocar, temporária ou permanentemente, categoria social denominada pela ONU de refugiados ambientais. O deslocamento pode ocorrer cruzando fronteiras nacionais ou mesmo para outras regiões dentro do seu próprio território.

Desafios dos municípios brasileiros

‌‌No Brasil, diversos municípios se deparam com o desafio de lidar com os desabrigados. No Rio Grande do Sul, mais de 800 pessoas ainda aguardam a construção das moradias prometidas pelas autoridades. Algumas famílias enfrentam longos períodos fora de casa, ultrapassando 90 dias em abrigos.

‌‌Afetadas pela seca extrema, famílias ribeirinhas do arquipélago fluvial de Anavilhanas, no Amazonas, se mudaram para dentro de canoas para ficarem mais próximos da água. No Mato Grosso, famílias da comunidade do Limão tiveram que deixar suas casas devido o aumento do nível do Rio Paraguai e Jauru em 2023.

Em novembro de 2023, a Câmara dos Deputados aprovou projeto que inclui exigência de adaptação às mudanças climáticas no Estatuto das Cidades. De autoria da Deputada Federal Erika Hilton, o PL 380/23 visa garantir cidades resilientes capazes de enfrentar os desafios ambientais emergentes. É uma medida importante, e os municípios precisam saber lidar ao mesmo tempo com o planejamento e as ações que demandam respostas urgentes.



Por Samantha Maia

Leia também