Greenwald: Para se ter democracia, é preciso assumir riscos – IREE

IREE - Instituto para Reforma das Relações entre Estado e Empresa

Entrevistas

Greenwald: Para se ter democracia, é preciso assumir riscos

O jornalista Glenn Greenwald concedeu uma entrevista à IREETV sobre o seu trabalho à frente da “Vaza Jato”, uma série de reportagens que tem revelado diálogos ocorridos nos bastidores da Operação Lava Jato.

As mensagens vazadas fazem parte de um arquivo extenso enviado por uma fonte anônima ao site The Intercept Brasil e mostram comportamentos controversos da força-tarefa da Lava Jato. 

As conversas indicam, por exemplo, que Sérgio Moro, juiz responsável por julgar os casos da operação, orientou a atuação da acusação, por meio do chefe dos Procuradores Deltan Dallagnol.

Consequências da Vaza Jato 

Para o fundador do site The Intercept Brasil, que esteve em São Paulo para a abertura do Seminário Internacional de Ciências Criminais do IBCCRIM, o trabalho jornalístico da “Vaza Jato” já tem impacto na opinião pública e no posicionamento de antigos aliados da Operação Lava Jato na mídia. 

“Mudanças políticas acontecem de forma lenta, devagar. E nesse caso é importante lembrar que a imagem do Sérgio Moro e a reputação da Lava Jato foram construídos durante os últimos cinco anos, enquanto estamos reportando há apenas dois meses”, disse o jornalista à IREETV.

Ameaças

Greenwald falou sobre as ameaças que ele e sua família têm sofrido por conta do trabalho de divulgação do material sobre a Operação Lava Jato.

“Estamos recebendo ameaças de violência e morte pelo e-mail, muito detalhadas, com dados privados da nossa família. E quando você está sendo ameaçado explicitamente com seu nome pelo Presidente da República, isso é uma ameaça séria também”, disse o jornalista. 

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou à imprensa acreditar que o jornalista tenha cometido um crime ao revelar as mensagens e insinuou que Greenwald poderia ser preso por isso. 

“Desde o começo, foi Sérgio Moro que sempre usou a linguagem para criminalizar nosso jornalismo, nos chamando de ‘aliados dos hackers’, e nunca jornalistas”, afirmou o fundador do The Intercept Brasil.

Liberdade de imprensa em risco

Para Greenwald, as ameaças mostram que a liberdade de imprensa está em risco no Brasil. O jornalista defende que é precisam adotar uma postura de resistência  e se agarrar às leis para defender o direito ao exercício do jornalismo. 

“Bolsonaro não acredita na liberdade de imprensa, ele disse isso explicitamente várias vezes. Mas podemos usar a liberdade de imprensa garantida pela Constituição brasileira para proteger essa liberdade e todas as outras liberdades políticas garantidas”.

Confira a entrevista completa



Leia também