Walfrido Warde -
Presidente do IREE

"Os economistas, que protagonizaram momentos de desespero e de glória, entre os anos 80 e 90, da hiperinflação ao Plano Real, voltaram a concentrar em si todas as esperanças de um País aterrorizado pelo desemprego e pela estagnação econômica. É hora de chamá-los a pensar numa Economia para o Povo”


Sobre o projeto

De maio a outubro de 2019, o Instituto para Reforma das Relações entre Estado e Empresa realizou um ciclo de encontros com economistas das mais diversas linhas de pensamento para propor caminhos para a economia brasileira. A iniciativa do IREE ocorre no contexto do urgente desafio de retomada do desenvolvimento econômico e social no Brasil. Desafio que somente poderá ser superado pelo diálogo na sociedade e com a contribuição de quem se dedica a estudar o País. Foram ao todo 10 economistas, 15 horas de palestras e debates.

Diagnóstico

Economistas

Naercio Menezes Filho

“Não houve avanço da produtividade dos anos de 1980 para cá no Brasil, e um dos problemas está na educação. Todas as crianças no Brasil têm que ter as mesmas oportunidades para se desenvolver.”

Luiz Gonzaga Belluzzo

"Sem articulação entre Estado e empresa, o Brasil não se recupera. A China se valeu da articulação, reformaram estatais para dar suporte ao setor privado, com financiamento público e estatais que encomendam do setor privado."

Antônio Delfim Netto

"O investimento depende da absoluta segurança jurídica, que só pode ser construída pelo STF. Talvez essa seja a decisão preliminar mais importante para começarmos a superar a triste confusão que nos encontramos.”

José Márcio Camargo

"Podemos estar perto de uma mudança fundamental na economia brasileira. O Brasil sempre teve taxas de juros elevadas. Desde a estabilização, nunca tivemos taxa abaixo de 8%, e quando tentamos, a inflação foi embora.”

Zeina Latif

"Temos hoje diagnósticos muito mais claros do que é preciso ser feito no País, que é a necessidade de voltar a se fazer reformas e de escancarar o problema fiscal. A agenda de reformas é o alicerce para o País crescer."

Nelson Marconi

“A indústria é o setor que mais gera inovação, que tem mais encadeamento com outro setores e cujo aumento de produção proporciona maior ganho de produtividade. O fato é que estamos crescendo pouco há muito tempo porque o Brasil não tem uma política industrial forte.”

Guilherme Mello

“Muita gente acha que com corte de gastos, PEC do Teto, Reforma Trabalhista, a confiança do empresário aumenta e impulsiona a economia. De fato a confiança melhorou, mas o investimento só vem se houver expectativa de demanda, de rentabilidade, e isso a economia brasileira não recuperou.”

Luiz Carlos Bresser-Pereira

"Desde 1990, as duas coisas fundamentais para o sistema ser liberal, que são a abertura comercial e financeira, são totais aqui. Ou seja, o quadro de estagnação que vivemos até então acontece dentro de um regime de política econômica liberal. O Brasil parou de crescer e passou por um processo violento de desindustrialização, e a meu ver isso foi causado pela política liberal que nós adotamos.”

Laura Carvalho

“Para que o Estado funcione como motor do crescimento, é evidente que não pode ter as mãos atadas por um teto. Há países que excluem investimentos públicos de alto retorno do cálculo da dívida pública em relação ao PIB.”

Paulo Rabello de Castro

"O Brasil pode sim retomar o seu desenvolvimento, mas está errado no conjunto de medidas econômicas que tem adotado. Não é uma situação produzida por uma enfermidade misteriosa, ou por uma condição de destino."

Antônio Delfim Netto

Antônio Delfim Netto é economista, professor emérito da FEA-USP e ex-ministro da Fazenda, entre outros cargos nos mais de 55 anos de vida pública. Dedicado a trabalhos didáticos e de pesquisa voltados para os estudos de problemas da economia brasileira, planejamento governamental e teoria do desenvolvimento econômico.

Guilherme Mello

Guilherme Mello é doutor em Ciência Econômica pela Unicamp. É professor do Instituto de Economia da UNICAMP e diretor do Centro de Estudos de Conjuntura do IE/UNICAMP. Foi assessor econômico para a campanha de Fernando Haddad à Presidência da República.

José Márcio Camargo

José Márcio Camargo é doutor em Economia pela Massachusetts Institute of Technology e professor na PUC-RJ. É economista da Genial Investimentos. Já atuou como consultor do BNDES, da OIT, Banco Mundial e do BID. Tem diversos livros e artigos publicados sobre trabalho, inflação e crescimento econômico.

Laura Carvalho

Doutora em economia pela New School for Social Research e professora da Faculdade de Economia e Administração da USP. Autora de Valsa Brasileira: do Boom ao Caos Econômico. Sua pesquisa se concentra nas áreas de macroeconomia e desenvolvimento econômico, com ênfase na relação entre crescimento econômico e distribuição da renda. Foi coordenadora econômica para a campanha de Guilherme Boulos à Presidência da República.

Luiz Carlos Bresser-Pereira

Doutor e livre-docente em Economia pela USP, mestre em Administração de Empresas pela Michigan State University e graduado em Direito na USP. É professor emérito da FGV-SP e editor da Revista de Economia Política. Foi ministro da Fazenda, da Administração Federal e Reforma do Estado e da Ciência e Tecnologia entre outros cargos na vida pública.

Luiz Gonzaga Belluzzo

Professor titular do Instituto de Economia da Unicamp e fundador da Faculdades de Campinas (Facamp). Com doutorado em economia, autor de diversos livros e com passagens pela administração pública, Belluzzo é consagrado como um dos maiores economistas heterodoxos do Brasil.

Naercio Menezes Filho

Professor titular e coordenador do Centro de Políticas Públicas do Insper, onde desenvolve pesquisas econômicas com ênfase em capital humano e organização industrial. Com PhD em economia pela University College London, é professor associado da FEA-USP e consultor da Fundação Itaú Social.

Nelson Marconi

Doutor em economia pela FGV-SP e Massachusetts Institute of Technology. É professor em Administração Pública e Governo na FGV-SP, coordenador do Fórum de Economia da FGV e do CDN, e colaborador externo da Organização Internacional do Trabalho. Desenvolve pesquisas com ênfase em macroeconomia do desenvolvimento, teoria do desenvolvimento econômico e economia do setor público.

Paulo Rabello de Castro

Doutor em Economia (M.A. e Ph.D) pela Universidade de Chicago, graduado em economia pela UFRJ e em direito pela UERJ. Ex-presidente do BNDES, é diretor-presidente da SR Rating e integra o Comitê de Gestão do Grupo de Lideres Empresariais (Lide). Autor de diversas obras, entre elas “O mito do governo grátis”, de 2014.

Zeina Latif

Doutora em economia pela Universidade de São Paulo (USP) e economista-chefe da XP Investimentos. Trabalhou no Royal Bank of Scotland (RBS), ING, ABN-Amro Real e HSBC. Em 2008 recebeu o prêmio de melhor economista-chefe pela Ordem dos Economistas do Brasil (OEB).

Walfrido Warde

Sócio-fundador do Warde Advogados. É também Presidente do Instituto para a Reforma das Relações entre Estado e Empresa (IREE) e Conselheiro da OAB/SP para o biênio 2019/2021.