Concessão da Cedae terá impacto positivo de 1 trilhão de reais – IREE

IREE - Instituto para Reforma das Relações entre Estado e Empresa

Cobertura

Concessão da Cedae terá impacto positivo de 1 trilhão de reais

Por Samantha Maia

A licitação das concessões de serviços da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae), prevista para acontecer no dia 30 de abril, pode trazer um impacto positivo para a economia da região de quase 1 trilhão de reais, considerando os efeitos da melhoria do saneamento básico para o turismo (R$ 2,7 bilhões), para o mercado imobiliário (R$ 12,4 bilhões) e para  o sistema de saúde (R$ 50,9 bilhões), entre outros itens.

“A concessão permite que o Marco Legal do Saneamento do Rio seja cumprido. Sem a concessão, os investimentos necessários para atendimento das metas estabelecidas em lei não poderiam ser realizados. É um processo que permite a sobrevivência da própria Cedae”, afirmou o secretário da Casa Civil do Estado do Rio de Janeiro, Nicola Miccione, no IREE Webinar: O maior projeto de infraestrutura do Brasil, realizado no dia 22 de janeiro, com participação dos debatedores Walfrido Warde, presidente do IREE, e Rafael Valim, diretor do IREE.

“Não nos esqueçamos que o mercado de infraestrutura brasileiro foi desmantelado de 2015 para cá, e o governo do Rio de Janeiro está fazendo um esforço hercúleo para trazer uma oportunidade de investimento em infraestrutura inédita nos últimos 5 anos”, disse o presidente do IREE, Walfrido Warde.

Com investimento previsto da ordem de 31 bilhões de reais em uma área que atende 13 milhões de pessoas, a concessão da Cedae é avaliada como o maior projeto de infraestrutura no país hoje. Apenas 35% do esgoto das áreas operadas pela Cedae são tratados atualmente, e a meta é chegar a 90%.

Participantes do evento: Walfrido Warde, Nicola Miccione e Rafael Valim.

Segundo Miccione, cerca de dez grupos já haviam manifestado interesse em participar da licitação, entre eles grandes grupos brasileiros e empresas do ramo financeiro.

O diretor do IREE Rafael Valim estudou o edital e chamou atenção para o fato de que o documento não traz exigências mirabolantes. “Eu estudei o edital e se nota um compromisso com a ampla competitividade, não fazendo exigências mirabolantes do ponto de vista técnico, o que explica a ampla gama de atores interessados na licitação”, disse Valim.

Pelos cálculos da Casa Civil, os serviços de distribuição de água e de captação e tratamento de esgoto em 35 municípios fluminenses, hoje atendidos pela Cedae, teriam um impacto financeiro de R$ 107,7 bilhões ao longo dos 35 anos de concessão.

Warde destacou a larga experiência do secretário Miccione como banqueiro público – Miccione é funcionário de carreira do Banco do Nordeste -, e lembrou que o poder público continuará presente no projeto de concessão através da Cedae remanescente, que cuidará da produção de água potável, e por meio das atividades de regulação e fiscalização.

“Miccione conhece os aspectos financeiros necessários para que um projeto como esse seja de fato atrativo para os operadores de mercado e ao mesmo tempo para que ele funcione tendo em vista a necessária governança estatal”, disse Warde.

Saiba todos os detalhes desse grande projeto na apresentação completa do webinar no vídeo abaixo.

Assista!



Leia também