Belluzzo: Sem articulação entre Estado e empresa, País não se recupera – IREE

IREE - Instituto para Reforma das Relações entre Estado e Empresa

Cobertura

Belluzzo: Sem articulação entre Estado e empresa, País não se recupera

O economista Luiz Gonzaga Belluzzo participou do IREE Diálogos Especial Economia para o Povo no dia 3 de maio de 2019 e convidou o público a um passeio pelo pensamento econômico ao longo da história.

Em sua apresentação, Belluzzo narrou a mudança de perspectiva da época em que a moeda era considerada uma mercadoria, algo a que se tinha acesso por meio do trabalho, para o momento em que a moeda passa a ser uma criatura dos bancos, e cujo lastro é a confiança.

Segundo o economista, a incapacidade de observar as transformações congela o pensamento econômico.

A rigidez de pensamento leva a escolhas erradas, explica Belluzzo, como no caso do ajuste fiscal iniciado no governo de Dilma Rousseff. “Comparo essa sucessão de desatinos a uma luta de boxe. A nossa economia estava como um lutador que levou umas pancadas no primeiro round, sentou no córner e o treinador deu-lhe um murro na cabeça, e ele desmaiou.”

Belluzzo discorreu sobre quais seriam as saídas para uma crise como a que os brasileiros enfrentam atualmente. Segundo ele, sem articulação entre Estado e empresa, o Brasil não se recupera.

Confira o vídeo da apresentação completa aqui.

Luiz Gonzaga Belluzzo é professor titular do Instituto de Economia da Unicamp e fundador da Faculdades de Campinas (Facamp). Com doutorado em economia, autor de diversos livros e com passagens pela administração pública, Belluzzo é consagrado como um dos maiores economistas heterodoxos do Brasil.

IREE Diálogos Especial Economia para o Povo é uma série de encontros organizados pelo IREE com ilustres economistas para debater caminhos para a economia brasileira. Abaixo, a cobertura dos demais encontros.

Confira as outras edições

Naercio Menezes fala sobre o papel da educação no desenvolvimento econômico

Delfim Netto: Investimento só virá com absoluta segurança jurídica

José Márcio Camargo: Brasil caminha para ser país de juros baixos

Nelson Marconi: Crescimento depende de política industrial forte

Guilherme Mello: Desenvolvimento produtivo deve ser orientado por demandas sociais

Bresser-Pereira: O liberalismo é a causa da estagnação econômica

Laura Carvalho: É momento de pensar uma nova agenda econômica

Paulo Rabello: Reforma Tributária complicará ainda mais o sistema



Leia também