As relações entre Brasil e França – IREE

Análises e Editorial

As relações entre Brasil e França

Samantha Maia e Juliana Pithon

O Presidente francês Emmanuel Macron faz sua primeira visita oficial ao Brasil de 26 a 28 de março de 2024 com o objetivo de estreitar as relações bilaterais entre os dois países. Em 2025, as relações diplomáticas entre Brasil e França completam 200 anos. É também a primeira visita oficial de Macron a um país latino-americano desde que assumiu o poder em 2017.

A agenda inclui as cidades de Belém, Itaguaí (RJ), São Paulo e Brasília e as atividades tratam de temas como economia sustentável, energia verde, segurança de fronteiras, indústria da defesa e governança global. Com o meio ambiente como um dos focos, ontem foi anunciado um programa para investir 1 bilhão de euros na bioeconomia da Amazônia brasileira e da Guiana Francesa.

Estão previstas as assinaturas de mais de dez acordos de cooperação bilateral, incluindo a criação de uma sede para o Centro Franco-Brasileiro de Biodiversidade Amazônica e um protocolo de investimentos de R$ 100 milhões entre o BNDES e a AFD, Agência Francesa de Desenvolvimento.

É de interesse da França explorar mercados nos setores militar, tecnológico e de energia renovável, enquanto o Brasil procura diversificar suas exportações e aumentar o mercado de produtos agrícolas, além de obter recursos para desenvolvimento e preservação da Amazônia.

Negociações sobre o acordo entre o Mercosul e a União Europeia não devem, no entanto, avançar nesta visita. Segundo interlocutores, Macron deve indicar ao Presidente Lula da Silva que a França não está pronta para assinar o acordo. Pressionado por agricultores em seu país, Macron chegou a pedir em janeiro deste ano pelo encerramento das negociações.

Outro ponto de divergência entre os países é a respeito da guerra na Ucrânia. Macron chegou a declarar uma guerra econômica contra a Rússia e mais recentemente indicou a possibilidade dos europeus enviarem tropas à Ucrânia. Já o Brasil tem negado apoio às sanções aplicadas à Rússia sob argumento de serem unilaterais, sem aprovação no âmbito das Nações Unidas.

Relações comerciais

Segundo dados do Banco Central, a França é o terceiro maior investidor no Brasil, com mais de US$ 38 bilhões aplicados. Há cerca 860 empresas francesas atuando no Brasil, com geração de 500 mil empregos. O fluxo comercial entre os dois países em 2023 foi de US$ 8,4 bilhões (US$ 2,9 bi de exportações brasileiras e US$ 5,5 bi de importações).

Na pauta de exportações brasileiras para França, predominam produtos como farelo de soja, óleos brutos, petróleo, celulose e minério de ferro. Já do lado francês, os principais produtos exportados ao Brasil são motores, máquinas, aeronaves, peças de automóveis, inseticidas, medicamentos.

Destaques da visita de Macron ao Brasil

Belém – Ilha do Combu – 27/03

  • Foco na complexidade amazônica e possibilidades de desenvolvimento sustentável na região
  • Condecoração do Cacique Raoni com a Legião de Honra, a mais alta distinção francesa
  • Discussão sobre segurança na fronteira compartilhada pela Guiana Francesa e o Amapá

Submarino Tonelero
Itaguaí (RJ) – 28/03

  • Lançamento do terceiro submarino produzido pelo Programa de Submarinos (Prosub), uma parceria de transação tecnológica entre a Marinha brasileira e a França

Fórum Econômico Brasil-França
São Paulo – 28/03

  • Macron faz discurso de encerramento do Fórum Econômico Brasil-França, na Fiesp, sobre a transição para a economia verde

Visita de Estado
Brasília – 29/03

  • Macron se reúne com Lula no Palácio do Planalto
  • Temas de destaque: reforma das instituições multilaterais, guerras na Ucrânia e em Gaza, situação política na Venezuela, crise humanitária no Haiti, candidatura do Brasil a uma vaga permanente no Conselho de Segurança da ONU


Por Samantha Maia

Leia também