Aporofobia que mata! – IREE

Colunistas

Aporofobia que mata!

Danielle Zulques

Danielle Zulques
Diretora de política e sociedade do IREE



Aporofobia é um termo inventado pela filósofa espanhola Adela Cortina e pode ser entendido como a aversão aos pobres. O uso de tal palavra pode parecer absurdo em pleno século XXI, momento crucial da história em que buscamos acabar com preconceitos, porém as camadas média e alta da sociedade brasileira têm dado provas reiteradas do seu desprezo e repulsa aos menos privilegiados.

É fato que desde os nossos colonizadores o preconceito de classes existe, porém essa onda de extrema direita escancarou o ódio que as pessoas sentem em relação aos que estão na base da pirâmide social, ostentam falas inaceitáveis quando retratam a “invasão” dos espaços sociais por parte de uma “sub-raça”. Mas o que a repulsa dos privilegiados pode causar pragmaticamente aos pobres? Ela os mata.

Acompanhamos na última semana a tragédia ocorrida no Litoral Norte de São Paulo, em que pese a negligência do poder público e a fúria da natureza, é estarrecedor que o prefeito de São Sebastião traga à tona a informação de que planejou erguer um conjunto habitacional na praia de Maresias, porém ele foi “vetado” por moradores de classes média e alta, sob o argumento de que não haveria saneamento básico para recepcionar os moradores, mesmo com a crescente construção de moradias de “luxo”.

O desprezo e o desrespeito dessas pessoas com os trabalhadores e trabalhadoras mortos (que provavelmente prestavam serviços a eles) e suas famílias, deveriam ser no mínimo investigados e eventualmente criminalizados. Trata-se de uma covarde opressão de classe que se não for punida, tende a se perpetuar. Vai além da exploração e exclusão social, trata-se de prática genocida.



Os artigos de autoria dos colunistas não representam necessariamente a opinião do IREE.

Danielle Zulques

É Diretora para assuntos de política e sociedade do IREE. Advogada formada pela FAAP e pós-graduada em Ciências Políticas pela FESPSP. É Coordenadora da CAUSA - rede que conecta advogadas a mães em busca de suporte legal.

Leia também