Diálogos sobre Leniência

15/12/2017 por ireebrasil


Com o objetivo de debater e identificar alternativas que fortaleçam a articulação institucional entre todos os interessados para garantir a segurança jurídica dos acordos de leniência, o IREE promoveu, em São Paulo, o evento Diálogos sobre Leniência. O evento foi aberto pelo presidente do instituto, Walfrido Jorge Warde Júnior, e contou com a participação de:

  • Alexandre Cordeiro Macedo, superintendente-geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica | CADE
  • Alexandre Pinheiro dos Santos, superintendente-geral da Comissão de Valores Mobiliários | CVM
  • Isaac Sidney Menezes Pereira, diretor de Relacionamento Institucional do Banco Central
  • Leandro Daiello, ex-diretor-geral da Polícia Federal
  • Marcelo Zenkner, promotor de Justiça
  • Raimundo Carreiro, presidente do Tribunal de Contas da União | TCU
  • Valdir Simão, ex-ministro do Planejamento e da Controladoria-Geral da União | CGU
  • Wagner de Campos Rosário, ministro da Transparência, Fiscalização e Controle do Brasil

Veja a íntegra do debate.


Tags: empresas, Estado, evento, leniência, política,

Vídeos relacionados


“O custo de entrada na democracia brasileira é alto. E por isso a renovação é baixa”

O cientista político e professor do Insper Fernando Luís Schüler prevê em entrevista à IREE TV que, em que pese os muitos movimentos de renovação da política surgidos recentemente no Brasil, a renovação da representatividade nas próximas eleições deve ser baixa

Saiba mais

“Precisamos de um Estado regulador e não de um Estado produtor”

O economista Andrea Calabi defende nesta entrevista concedida a Walfrido Jorge Warde Jr. um estado regulador, com premissas de longo prazo, para mobilizar capitais privados em projetos de interesse público. Ele diz também que o Brasil necessita de estruturas institucionais e macroeconômicas mais estáveis para poder alongar os horizontes de planejamento

Saiba mais

“A corrupção não é prerrogativa de empresas estatais”

O economista Antonio Corrêa de Lacerda faz um balanço da economia brasileira após o impeachment e diz que o maior legado foi a quebra de regras. Há, segundo ele, também uma outra impressão que deve ser desfeita: a de que apenas empresas estatais estão envolvidas em casos de corrupção

Saiba mais