“A corrupção não é prerrogativa de empresas estatais”

09/03/2018 por ireebrasil


O economista Antonio Corrêa de Lacerda faz um balanço da economia brasileira após o impeachment e diz que o maior legado foi a quebra de regras. Há, segundo ele, também uma outra impressão que deve ser desfeita: a de que apenas empresas estatais estão envolvidas em casos de corrupção. Por outro lado, um aspecto positivo pode ser ressaltado, mesmo levando em conta que ainda estamos atravessando uma crise: a percepção de que os mecanismos de controle ganham destaque e são adotados. Esse pode ser considerado, na avaliação do economista, um benefício trazido pela Lava Jato e pelo combate à corrupção [11’22”]

Antônio Corrêa de Lacerda é professor de Economia Política da PUC-SP e foi homenageado com o título concedido em 2017 pelo Conselho Federal de Economia de Personalidade Econômica do Ano.

Os caminhos para a retomada da economia e do crescimento do Brasil, os embates entre diferentes pensamentos econômicos, o discurso ultraliberal e como a política vai fazer parte dos debates políticos nas eleições deste ano. Acompanhe a segunda parte da entrevista com o economista Antonio Corrêa de Lacerda [13’33”]


Tags: corrupção, economia, Estado, Estatais, impeachment, Lava Jato,

Vídeos relacionados


“O Congresso precisa redefinir o trânsito em julgado”

O jurista e doutor em Direito Penal Luiz Flávio Gomes, nesta entrevista à IREE TV, cobra do Congresso uma emenda constitucional que redefina o que é o trânsito em julgado. E que o considere como o julgamento após a segunda instância

Saiba mais

“Redistribuição de renda faz uma economia mais dinâmica”

A economista Laura Carvalho fala sobre o projeto econômico que está sendo desenvolvido para a campanha de Guilherme Boulos (PSOL) à presidência da República. Segundo ela, o momento é de pensar um projeto viável, tecnicamente sólido e que tenha o combate às desigualdades como foco

Saiba mais

“Precisamos de um Estado regulador e não de um Estado produtor”

O economista Andrea Calabi defende nesta entrevista concedida a Walfrido Jorge Warde Jr. um estado regulador, com premissas de longo prazo, para mobilizar capitais privados em projetos de interesse público. Ele diz também que o Brasil necessita de estruturas institucionais e macroeconômicas mais estáveis para poder alongar os horizontes de planejamento

Saiba mais